Conquista Urgente

Conquista Urgente


Resultado da busca pela categoria "policial"

Victor fala pela primeira vez sobre caso de agressão à mulher

Terça | 21.03.2017 | 19h08


(Foto: Reprodução)

No domingo passado (19), o cantor Victor Chaves, da dupla com Leo, falou sobre a denúncia de agressão contra a mulher, Poliana Bragatini. O desabafo foi durante um show em Biguaçu (SC):  "Você passa por uma experiência muito dura, muito difícil na sua vida, você percebe a verdadeira essência de conhecer o lado do outro e respeitar o lado do outro quando o outro passa por uma dificuldade grande também. Sinceramente, é um tempo bom para dividir com as pessoas que simplesmente não quiseram crer no pior. Porque a gente crê no que a gente quer, né. Não naquilo que é verdade. O que é verdade a gente nem conhece. As pessoas que quiseram crer na minha verdadeira essência são as pessoas que conhecem o meu lado bom, meu lado artístico e humano", disse.E continuou falando sobre a repercussão do caso: "Agora, enquanto a gente percebe um monte de gente xingando, julgando e condenando na situação que eu passei, o que eu aprendi com isso foi que, quando eu vi aquele tantão de gente condenando sem julgamento algum eu percebi que minha ficha caiu nessa hora e eu disse: já fui igualzinho a vocês. Agora sou menos", completou Victor, e agradeceu ao seu irmão Leo pelo apoio que tem recebido. 

PF deflagra nova fase da Lava Jato; pessoas ligadas a políticos com foro são alvo

Terça | 21.03.2017 | 10h06


(Foto: Reprodução)

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (21) uma nova fase da Lava Jato, desta vez envolvendo políticos com foro. Segundo informações do Bom dia Brasil, da TV Globo, há mandados judiciais emitidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), corte responsável por casos envolvendo pessoas com foro privilegiado. Há uma operação em curso também em Salvador na manhã desta terça: equipes da PF foram vistas em um edifício do Condomínio Reserva Albalonga, no Horto Florestal. Segundo a superintendência regional da PF, os dois mandados cumpridos na capital baiana são referentes a uma operação autorizada pelo STF, mas ainda não há mais detalhes sobre a ação.  Ainda não há confirmação se o cumprimento de mandados em Salvador tem relação com a 39ª fase da Lava Jato.

Parte da propina era revertida para PP e PMDB, diz PF sobre fraude em carne

Sexta | 17.03.2017 | 14h23


(Foto: Reprodução)

O delegado da Polícia Federal (PF) Maurício Moscardi Grillo afirmou que os partidos PP e PMDB eram beneficiados com propina envolvendo o esquema ilegal de vendas de carnes."Dentro da investigação ficava bem claro que uma parte do dinheiro da propina era sim revertida para partido político. Caracteristicamente já foi falado ao longo da investigação dois partidos que ficaram claros: que é o PP e o PMDB", disse durante a coletiva de imprensa realizada em Curitiba na manhã desta sexta-feira (17), dia em que a Operação Carne Fraca foi deflagrada pela PF.A operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.Segundo a polícia, a Carne Fraca é, em números, a maior operação já realizada pela PF no país. Pela manhã, funcionários do ministério foram detidos. Em seis estados do Brasil e no Distrito Federal, 309 mandados judiciais são cumpridos, sendo 27 de prisão preventiva – que é por tempo indeterminado – e 11 de prisão temporária."O período da investigação é o período que eu posso dizer, ao longo de dois anos de investigação isso era mais claro para a gente. Não sei se eventualmente um esquema ligado a partidos ocorria há mais tempo e também não ficava caracterizado para a gente para qual político especificamente ia todo esse dinheiro", relatou Maurício Moscardi Grillo.A PF informou que ainda não foi detectado o motivo pelo qual o dinheiro era destinado aos partidos. 

Produtos químicos eram usados para 'maquiar' carnes vencidas, diz polícia

Sexta | 17.03.2017 | 13h11


(Foto: Reprodução)

Frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca usavam produtos químicos para "maquiar" carne vencida. As empresas também injetavam água para aumentar o peso dos produtos e, em alguns casos, foi constatada ainda falta de proteína na carne. Os detalhes foram passados pelo delegado da Polícia Federal Maurício Moscardi Grillo em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (17). “Eles usavam ácidos e outros produtos químicos para poder maquiar o aspecto físico do alimento. Usam determinados produtos cancerígenos em alguns casos para poder maquiar as características físicas do produto estragado, o cheiro", disse Moscardi.No caso da falta de proteína, o delegado explicou que havia substituição. "Foi trocada por fécula de mandioca ou proteína da soja, que é muito mais barata, mais fácil de substituir."O delegado afirmou que nem mesmo os fiscais envolvidos, que costumavam ganhar carnes dos proprietários como benefício, estavam aguentando a má qualidade dos produtos. "Eles comentavam entre si que não estava mais dando para receber", disse. A operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. Segundo a polícia, a "Carne Fraca" é a maior operação já realizada pela PF no país. Pela manhã, funcionários do ministério foram detidos.Foram investigadas grandes empresas do setor, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, entre outras marcas. Também há envolvimento, segundo a PF, de frigoríficos menores, como Mastercarnes, Souza Ramos e Peccin, do Paraná, e Larissa, que tem unidades no Paraná e em São Paulo.Em nota, a JBS afirmou que houve ação da Carne Fraca em três unidades produtivas da companhia, sendo duas delas no Paraná e uma em Goiás. Na unidade da Lapa (PR), houve uma medida judicial expedida contra um médico veterinário, funcionário da JBS, cedido ao Ministério da Agricultura.Segundo a empresa, não há nenhuma medida judicial contra executivos da JBS e que a sede não foi alvo da operação. "A JBS e suas subsidiárias atuam em absoluto cumprimento de todas as normas regulatórias em relação à produção e a comercialização de alimentos no país e no exterior e apoia as ações que visam punir o descumprimento de tais normas", diz a nota. (veja íntegra no fim da reportagem). O G1 pediu um posicionamento da BRF e aguarda retorno.

Polícia Federal cumpre 311 mandados em 7 estados; apuração envolve licença de frigoríficos

Sexta | 17.03.2017 | 09h11


(Foto: Reprodução)

A Polícia Federal cumpre na manhã desta sexta-feira (17) 311 mandados judiciais em sete estados, pela operação Carne Fraca, apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária, Abastecimento (Mapa) em esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. Segundo informações da Polícia Federal, algumas das maiores empresas do país são alvos da apuração. A investigação aponta que os fiscais pediam propina para empresários; estes cediam, mas em contrapartida, chegavam a obter a prerrogativa de indicar quem faria a fiscalização nas empresas. Os mandados serão em São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás. Ao todo, 1,1 mil policiais participam da ação. Do total de mandados, 26 são de prisão preventiva, 11 de prisão temporária e 79 de conduções coercitivas, além de 195 mandados são de busca e apreensão. Também há ordem judicial para o bloqueio determinou o bloqueio de bens de todos os investigados no caso, somando R$ 1 bilhão. A nome da operação, Carne Fraca, faz menção à expressão popular, como uma forma de indicar a má qualidade dos alimentos vendidos por essas empresas.

Perícia conclui que PM matou família e cometeu suicídio em seguida

Quinta | 16.03.2017 | 09h14
Autor: Correio 24h


(Foto: Reprodução)

A perícia realizada pela Polícia Civil no apartamento do policial militar Cláudio Guimarães Müller de Azevedo, 43 anos, concluiu que ele cometeu um duplo homicídio seguido de suicídio. Cláudio, a esposa dele, Catarina Teixeira Müller, 39, e o filho do casal, Lucas, de 12 anos, foram encontrados mortos com marcas de tiro, na tarde desta quarta-feira (15). A família morava no Loteamento Aquarius, no 11º andar do bloco B, do Edifício Arpoador, na Rua Clara Nunes, no bairro da Pituba, próximo ao Colégio Anchietinha.De acordo com o perito criminal Ríbio Januário, a arma utilizada no crime estava ao lado do PM. Ainda segundo o perito, o menino e o pai foram encontrados no quarto do casal e a esposa no quarto da criança. Os cômodos não estavam trancados. Em nota, a Polícia Civil divulgou que o subtenente chegou ao prédio por volta da 1h30 da madrugada e que os disparos foram ouvidos meia hora depois de sua chegada. Ainda conforme a nota, mãe e filho foram baleados três vezes cada um. O policial se matou com um tiro na cabeça. A arma usada por ele foi uma pistola ponto 40. A pistola foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para ser periciada. Os corpos foram removidos do apartamento por volta das 17h. A perícia não constatou sinais de arrombamento da porta do imóvel. No entanto, nesta tarde, a Polícia Militar (PM) não havia descartado a presença de uma quarta pessoa na cena do crime.O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) seguirá apurando as circunstâncias e motivação do fato. Na saída do local, os peritos carregavam notebooks e celulares para serem periciados. Segundo a polícia, vizinhos e parentes já estão sendo ouvidos pelo departamento e imagens do local serão coletadas para análise.

Perícia conclui que PM matou família e cometeu suicídio em seguida

Quinta | 16.03.2017 | 09h14
Autor: Correio 24h


(Foto: Reprodução)

A perícia realizada pela Polícia Civil no apartamento do policial militar Cláudio Guimarães Müller de Azevedo, 43 anos, concluiu que ele cometeu um duplo homicídio seguido de suicídio. Cláudio, a esposa dele, Catarina Teixeira Müller, 39, e o filho do casal, Lucas, de 12 anos, foram encontrados mortos com marcas de tiro, na tarde desta quarta-feira (15). A família morava no Loteamento Aquarius, no 11º andar do bloco B, do Edifício Arpoador, na Rua Clara Nunes, no bairro da Pituba, próximo ao Colégio Anchietinha.De acordo com o perito criminal Ríbio Januário, a arma utilizada no crime estava ao lado do PM. Ainda segundo o perito, o menino e o pai foram encontrados no quarto do casal e a esposa no quarto da criança. Os cômodos não estavam trancados. Em nota, a Polícia Civil divulgou que o subtenente chegou ao prédio por volta da 1h30 da madrugada e que os disparos foram ouvidos meia hora depois de sua chegada. Ainda conforme a nota, mãe e filho foram baleados três vezes cada um. O policial se matou com um tiro na cabeça. A arma usada por ele foi uma pistola ponto 40. A pistola foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para ser periciada. Os corpos foram removidos do apartamento por volta das 17h. A perícia não constatou sinais de arrombamento da porta do imóvel. No entanto, nesta tarde, a Polícia Militar (PM) não havia descartado a presença de uma quarta pessoa na cena do crime.O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) seguirá apurando as circunstâncias e motivação do fato. Na saída do local, os peritos carregavam notebooks e celulares para serem periciados. Segundo a polícia, vizinhos e parentes já estão sendo ouvidos pelo departamento e imagens do local serão coletadas para análise.

Neymar é julgado por multa milionária à Receita Federal

Quarta | 15.03.2017 | 12h12
Autor: Correio 24h


(Foto: Reprodução)

O atacante Neymar será julgado nesta quarta-feira (15) pelo Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). O jogador questiona a multa recebida de quase R$ 200 milhões. Em audiências anteriores, foi pedida a revisão dos dados do processo, adiando a decisão.A Receita Federal atuou Neymar e sua família por terem deixado de pagar R$ 63,6 milhões entre 2011 e 2013. Com multas e correções, o valor se aproxima dos R$ 200 milhões. A Receita alega que houve omissão de rendimentos de fontes do exterior com publicidade e “omissão de rendimentos oriundos de vínculo empregatício pagos pelo Barcelona”.A defesa de Neymar diz que os valores se devem a apenas direitos de imagem. Caso a multa seja aplicada, é provável que o Barcelona ajude Neymar no pagamento. A medida estaria prevista no novo contrato dele com o clube, segundo o UOL.

Laudo do IML é negativo para lesão corporal contra mulher do cantor Victor, diz polícia

Segunda | 13.03.2017 | 20h09
Autor: G1


(Foto: Reprodução)

sultado do laudo de lesão corporal da mulher do cantor Victor Chaves foi negativo, afirmou, nesta segunda-feira (13), a delegada Danúbia Quadros, chefe da Divisão Especializada no Atendimento à Mulher, ao Idoso e à Pessoa com Deficiência (Demid) de Belo Horizonte. Poliana Bagatini Chaves, que tem 29 anos e está grávida, prestou queixa contra o marido no dia 24 de fevereiro, dizendo que foi agredida pelo cantor, de 41 anos, da dupla sertaneja Victor & Leo. O exame foi realizado no Instituto Médico Legal (IML) da capital mineira.Danúbia disse que ainda aguarda laudo pericial das imagens do circuito interno do prédio onde a suposta agressão teria ocorrido para concluir o inquérito. Nesta manhã, a Polícia Civil chegou a divulgar que a investigação estava concluída, mas a delegada afirmou que tem 30 dias para finalizar o inquérito.

Conquista registra mais um homicídio, terceiro do mês

Sábado | 04.02.2017 | 11h03
Autor: Vitória da Conquista Notícias


(Foto: Reprodução)

Mal começou e o mês de fevereiro já registra 3 homicídios apenas nos três primeiros dias, em Vitória da Conquista. O último ocorreu por volta das 20:30 horas da noite de hoje (03). Uma guarnição da Rural 92 foi acionada para averiguar uma denúncia de vários disparos de arma de fogo, na Chácaras Guarani, próximo ao bairro Lagoa das Flores. Chegando no local os militares constaram a veracidade dos fatos. Até o momento não há informações da identificação da vítima (apenas que o apelido dele seria “Du”, e nem sobre a ação dos atiradores. A qualquer momento mais informações. Esse é o 3º homicídio do mês de fevereiro e o 12º no ano em Vitória Conquista. 

Marceneiro é morto em ação policial após seguir dupla de assaltantes

Sábado | 04.02.2017 | 10h01
Autor: Correio 24 horas


(Foto: Hilza Cordeiro/CORREIO)

Cansado dos frequentes assaltos ao restaurante da mãe nos últimos meses, o marceneiro Ramon Henrique de Jesus Santos, 32, morto em Itinga, na tarde de quinta-feira (2), saiu de carro pelo bairro em busca dos possíveis assaltantes. Ao encontrar os dois homens que suspeitava serem os ladrões, Ramon e um amigo os renderam com uma arma. De acordo com a Polícia Civil, um mototaxista presenciou a abordagem e ligou para a polícia relatando o ocorrido. Policiais da 81ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Itinga) foram atender ao chamada e encontraram no local os dois homens que tinham sido rendidos por Ramon. Eles afirmaram que o homem que os atacara estava em um veículo Ônix. Os dois disseram que achavam que se tratava de uma tentativa de assalto. A viatura então seguiu procurando pelo carro mencionado até encontrá-lo. De acordo com o depoimento do amigo que estava de carona, ao notar a viatura, próximo ao Loteamento Jardim Pérola, Ramon tentou fugir porque estava com um revólver e não tinha porte de arma. Em nota, no entanto, a Polícia Militar informou que os amigos atiraram contra a guarnição, que, por sua vez, revidou. Ainda conforme a PM, no confronto, um dos jovens, foi atingido e socorrido para o Hospital Menandro de Farias, mas não resistiu. Ramon já chegou sem vida à unidade. Os dois homens que foram abordados por Ramon e o amigo também foram levados pela polícia para a delegacia, ouvidos e liberados. 

Polícia acha drogas, celulares e 32 facas no presídio de Feira de Santana

Sábado | 14.01.2017 | 09h13
Autor: G1 Bahia


(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Drogas, celulares, cachimbos para consumo de drogas e 32 facas artesanais foram apreendidos durante uma operação, nesta sexta-feira (13), no Presídio Regional de Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador. A ação foi deflagrada após denúncias de que havia drogas e armas nos 11 pavilhões da unidade, que tem capacidade para 1.356 detentos, mas abriga atualmente mais de 1.779 internos. O mandado de busca e apreensão foi expedido pela Vara de Execuções Penais. Participaram da ação 100 policiais militares, 50 policiais civis e 30 agentes penitenciários. Durante a revista, autorizada pelo juiz Waldir Viana Ribeiro Júnior, foram encontradas 32 facas artesanais, quatro celulares, 19 cachimbos para crack, tesouras, pedaços de madeira, 17 cadernos com anotações de conta bancária, contatos telefônicos e relação nominal de pessoas com valores e comprimidos diversos. Pendrives, cartões de memória, chips de operadoras, celulares quebrados, isqueiros e baterias de celulares, também foram apreendidos, além de 95 trouxinhas de maconha, 38 pacotes de cocaína e sete pedras de crack. Todo material apreendido foi encaminhado para a perícia no Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Homem que incendiou casa e matou quatro filhos e neto é preso na Bahia

Sexta | 06.01.2017 | 08h55
Autor: G1


Gilson Jesus Moura, de 49 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira (Foto: Divulgação / PM)

O homem suspeito de incendiar a própria casa e matar quatro filhos e o neto no município de Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador, preso na manhã desta sexta-feira (6). Em entrevista ao G1, o delegado João Uzzum, titular da 1ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Feira de Santana), afirmou que Gilson Jesus Moura, de 49 anos, foi localizado por volta das 7h, em um ponto de ônibus do próprio município, em uma região conhecida como Largo do Marajó. "Certamente com interrese de fugir", relata. O delegado afirma que a operação que levou a polícia até Gilson começou por volta das 4h, quando o carro do suspeito foi localizado na casa do irmão. O veículo foi encontrado pela Polícia Militar, que a partir da residência encontrou pistas que levaram até o homem. Gilson era procurado pela polícia por ter incendiado a própria casa. No incêndio, morreram Thais de Jesus Moura, 13, Carlos de Jesus Moura, 9, e Xayane de Jesus Moura, 8, filhos de Gilson com Cristina de Jesus Moura. A enteada dele Emile de Jesus Moura, 16, e o filho dela, de 1 ano, também morreram. A adolescente estava grávida de cinco meses.

Homem mata esposa na Bahia e dorme dois dias ao lado do corpo

Quinta | 05.01.2017 | 19h15
Autor: Correio 24h


Foto: Sessé Guimmas/Medeiros Dia Dia

Um homem foi preso em flagrante acusado de matar a esposa na cidade de Medeiros Neto, na região Sul da Bahia, e manter o corpo dentro da casa do casal durante dois dias. De acordo com a Polícia Civil, Leonatan Borges Silva, 27 anos, foi preso na manhã de quarta-feira (4), quando tentava fugir. O crime ocorreu na segunda-feira (2). De acordo com a polícia, Leonatan e Maria Vera da Silva, 39 anos, viviam juntos há 14 anos em uma casa que fica em um terreno na Rua do Pescador, bairro Aparecida, e que pertence ao pai da vítima. Segundo o delegado Jorge da Silva Nascimento, da delegacia de Medeiros Neto, Maria Vera foi morta em casa com golpes de faca. Ainda de acordo com ele, o casal estava bebendo em um bar e, durante uma discussão, Maria Vera teria agredido e xingado Leonatan.

Crime: Garota entra no ônibus de banda, a suspeita é que ele foi estuprada e morta

Quinta | 19.05.2016 | 08h11


Jéssica Lovatto, de 19 anos, foi encontrada morta em esgoto no Paraguai, com sinais de estupro e estrangulamento. Banda gaúcha Safira é suspeita do assassinato.(Fotos: Reprodução)

Uma jovem de 19 anos, Jéssica Lovatto de Oliveira, foi encontrada morta com marcas de estrangulamento em um esgoto, em Santa Rita, nos Paraguai.O Ministério Público do Paraguai está investigando o grupo musical Safira del Brasil como principal suspeito do assassinato de Jéssica, que trabalhava na Expo Santa Rita, no último sábado (7). Segundo o promotor Érico Ávalos, há imagens de uma câmera de segurança da exposição que mostram o momento em que Jéssica entra no ônibus dos artistas, que estava estacionado no local. A filmagem, que dura cerca de 12 horas, não mostra o momento em que a jovem sairia do veículo.O Ministério Público do Paraguai está investigando o grupo musical Safira del Brasil como principal suspeito do assassinato de Jéssica, que trabalhava na Expo Santa Rita, no último sábado (7). Segundo o promotor Érico Ávalos, há imagens de uma câmera de segurança da exposição que mostram o momento em que Jéssica entra no ônibus dos artistas, que estava estacionado no local. A filmagem, que dura cerca de 12 horas, não mostra o momento em que a jovem sairia do veículo. O Ministério Público do Paraguai está investigando o grupo musical Safira del Brasil como principal suspeito do assassinato de Jéssica, que trabalhava na Expo Santa Rita, no último sábado (7). Segundo o promotor Érico Ávalos, há imagens de uma câmera de segurança da exposição que mostram o momento em que Jéssica entra no ônibus dos artistas, que estava estacionado no local. A filmagem, que dura cerca de 12 horas, não mostra o momento em que a jovem sairia do veículo.